Enem e FIES

Visando atender estudantes de baixa renda que buscam fazer um curso de qualidade, o Ministério da Educação criou o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES). Esse fundo permite o financiamento de mensalidade pelo Enem. Além disso, os estudantes que pretendem recorrer ao FIES não precisam mais pagar a taxa de matrícula da faculdade. Os custos do registro acadêmico serão incluídos no financiamento. Que tal entender um pouco mais sobre o assunto?

FIES da Caixa Econômica Federal auxilia estudantes matriculados em universidades particulares a finalizarem suas graduações. Mas nem toda universidade particular participa do FIES; apenas as com bom desempenho no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) participam do programa.

Enem e FIES caminham juntos. Em 2011 ficou estabelecido que apenas conseguirão o auxílio ao estudantes que realizaram a edição mais recente do Enem. O exame só não é exigido aos professores das redes públicas da educação básica em efetivo exercício do magistério.

Para realizar a matrícula, você deve, em primeiro lugar, acessar o SisFIES e realizar um cadastro. A partir desse cadastro é preciso validar suas informações na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) em sua instituição de ensino em até 10 dias. Após a validação das informações é preciso comparecer a um agente financeiro, em também 10 dias, para formalizar a contratação do financiamento. Lembrando que os juros são fixos de  6,50% ao ano.

Para se inscrever é preciso apresentar um ou mais fiadores. O fiador se responsabiliza pelo pagamento das parcelas caso o estudante pare de cumprir os prazos de pagamentos estabelecidos. O novo FIES tem como tentativa abolir a necessidade de um fiador, porém não se sabe ao certo se isso será possível.

Os alunos bolsistas parciais do Programa Universidade a Todos (Prouni), ou que estejam matriculados em cursos de licenciatura ou que tenham renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio, podem optar pelo Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (FGEDUC) no momento da sua inscrição, ficando dispensados da exigência do fiador.

Para conseguir o auxílio do fundo existe uma lista de prioridade. Logo abaixo você confere o índice de prioridade organizado de maneira decrescente:

• Bolsistas parciais de 50% do Programa Universidade para Todos (ProUni);
• Estudantes beneficiários de bolsas complementares matriculados em cursos considerados prioritários;
• Estudantes beneficiários de bolsas complementares matriculados nos demais cursos;
• Estudantes matriculados em instituições de educação superior que tenham aderido ao ProUni;
• Demais estudantes matriculados em Instituições de Ensino Superior que não tenham aderido ao ProUni.

Caso a graduação ou instituição escolhida não agrade o estudante, é possível realizar mudanças. A mudança de curso é permitida uma única vez dentro da mesma faculdade, desde que não tenha cursado mais de três semestres, incluindo as férias. A transferência integral de curso ou de instituição poderá ser feita somente a partir do último mês do semestre cursado ou suspenso na instituição de ensino de origem.

No caso da transferência de instituição, ela será possível uma vez por semestre e deve ser no mesmo curso. O desligamento do estudante de um curso ou de uma faculdade para se matricular a outra deve ocorrer em junho ou dezembro do semestre cursado ou suspenso.

Desde a criação do Programa, em 1999, já são aproximadamente 600 mil estudantes beneficiados, com uma aplicação de recursos de R$ 5 bilhões entre contratações e renovações semestrais dos financiamentos pelo FIES.

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O FIES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FGTS

X